Com quinze anos de carreira, Paulo Gustavo, ator formado pela Casa das Artes de Laranjeiras, além de se destacar nos palcos, também conquistou o Brasil com a sua irreverência em seus trabalhos no cinema e na televisão. Com o sucesso da personagem de Dona Hermínia, Paulo deslanchou em seus novos projetos, inclusive com seus dois longas sobre a personagem da mãe mais querida do país, que foram sucesso de bilheteria no Brasil, assim como as séries ‘Vai que Cola’ e ‘A Vila’, no canal Multishow.

Foram quatro peças de destaque em sua carreira (Minha Mãe é uma Peça, Hiperativo, 220 Volts e On-line), cinco programas (220 Volts – A Série, Vai Que Cola, Paulo Gustavo na Estrada, A Vila e Além da Ilha), assim como os longas sucesso de bilheteria (Divã, Minha Mãe é uma peça 1 e 2, Vai que Cola – O Filme, Os Homens São de Marte… E É Pra Lá que Eu Vou e a sequência Minha Vida em Marte).

Ganhador do prêmio de Homem do Ano no Entretenimento pela GQ Brasil, Paulo fala que em todos os seus trabalhos, e durante toda sua carreia, o que o move a realizar novos projetos é seu público, que sempre o apoia.

De Niterói para o mundo, através do bom humor, seus mais recentes trabalhos são o reflexo da espontânea e carismática forma de traduzir sua arte e sua personalidade.

“O Brasil sempre precisa de mais humor. O humor cura, transforma e, principalmente, educa.” – Paulo Gustavo em seu discurso no palco da premiação GQ Brasil (Men of The Year 2018)

2006


banner-timeline-mmpshell

Prêmio Shell

No mesmo ano em que estreia “Minha Mãe É Uma Peça”, Paulo é indicado ao Prêmio Shell de “Melhor Ator”.

banner-timeline-mmpecaestreia

Minha Mãe É Uma Peça

Em 2006 monta sozinho seu próprio espetáculo. O monólogo, concebido e escrito pelo ator, é inspirado na própria mãe, a personagem Dona Hermínia. A peça logo se torna um sucesso e já foi vista por 3 milhões de pessoas.